10 razões pelas quais a bondade traz benefícios para você

Alguns cientistas dizem que, como só somos altruístas pelo bem do grupo e para sentir a descarga de dopamina, isso significa que a bondade é egoísta e que, talvez, a maioria dos casos de altruísmo seja em proveito próprio. É perfeitamente claro que todos os seres humanos necessitam de paz interior, e a melhor forma de alcançá-la é por meio da bondade e da compaixão. Um dos sinônimos de bondade é humanidade, ou seja, a bondade é o reconhecimento do fato de que todos somos humanos, e que estamos todos no mesmo barco. Mas vamos ver quais benefícios temos ao exercermos nosso lado bom:

  1. A bondade nos faz mais felizes.
    Quando fazemos algo de bom para alguém, sentimo-nos bem. Em um nível espiritual, muitas pessoas acham que é porque é a coisa certa a ser feita e estamos batendo em algo profundo dentro de nós, que diz: “Este é quem eu sou.” Em um nível bioquímico, acredita-se que a boa sensação que temos é devido a níveis elevados de versões natural do cérebro de morfina e heroína, que causam elevados níveis de dopamina no cérebro, por isso, temos uma elevação de humor natural.
  2. A bondade deixa nossos corações mais saudáveis.
    Atos de bondade são frequentemente acompanhados de calor emocional. Calor emocional produz o hormônio oxitocina no cérebro e por todo o corpo. De interesse muito recente é o seu papel significativo no sistema cardiovascular. A ocitocina provoca a liberação de uma substância química chamada óxido nítrico nos vasos sanguíneos, o que dilata (expande) os vasos sanguíneos. Isto reduz a pressão sanguínea, e, por conseguinte, a oxitocina é conhecida como um hormônio “cardioprotetor” porque protege o coração por redução da pressão arterial. A chave é que os atos de amabilidade podem produzir ocitocina, e, por conseguinte, amabilidade pode ser cardioprotetor.

 

  1. A bondade retarda o envelhecimento.
    O envelhecimento a nível bioquímico é uma combinação de muitas coisas, mas dois culpados que aceleram o processo são os radicais livres e inflamação, que resultam de fazer escolhas de estilo de vida pouco saudáveis. Mas pesquisas mostram que a ocitocina (que produzimos através de calor emocional) reduz os níveis de radicais livres e inflamação no sistema cardiovascular e, portanto, retarda o envelhecimento em sua fonte. Aliás, estes dois culpados também desempenham um papel importante nas doenças do coração, de modo que esta é outra razão pela qual a bondade é boa para o coração. Houve também sugestões nas revistas científicas da forte ligação entre a compaixão e a atividade do nervo vago. O nervo vago, em adição à regulação do ritmo cardíaco, também controla os níveis de inflamação no corpo em que é conhecido como o reflexo inflamatório. Um estudo que utilizou a benignidade da meditação budista tibetana descobriu que bondade e compaixão, de fato, reduzem a inflamação no corpo, muito provavelmente devido a seus efeitos sobre o nervo vago.

 

  1. A bondade melhora os relacionamentos.
    Este é um dos pontos mais óbvios. Nós todos sabemos que gostamos de pessoas que nos mostram bondade. Isso ocorre porque a bondade reduz a distância emocional entre duas pessoas, por isso nos sentimos mais “ligados”. É algo tão forte, que é realmente uma coisa genética. Somos loucos por bondade. Nossos ancestrais evolutivos tiveram que aprender a cooperar uns com os outros. Quanto mais fortes os laços emocionais dentro dos grupos, maiores as chances de sobrevivência, por isso, “genes de bondade” foram gravados no genoma humano. Hoje, quando somos gentis uns com os outros, sentimos uma conexão, e novas relações são criadas, ou as já existentes, reforçadas.

 

  1. A bondade é contagiosa.
    Quando somos bons, inspiramos outros a serem bons, e isso realmente cria um efeito cascata que se espalha para fora, para os amigos dos amigos dos nossos amigos – a três graus de distância. Assim como uma pedra cria ondas quando ela é atirada em uma lagoa, atos de bondade são atirados para fora, tocando a vida dos outros e a inspiração da bondade vai para todos os lugares onde está essa onda. Um estudo científico recente relatou que uma pessoa de 28 anos de idade entrou anonimamente em uma clínica e doou um rim. Isso desencadeou um “Pay It Forward”, ou seja, efeito cascata de bondade, em que os cônjuges ou outros membros da família de receptores do rim doaram um deles a alguém que precisava. O “efeito dominó”, como foi chamado no relatório de New England Journal of Medicine, media o comprimento e a largura dos Estados Unidos da América, onde 10 pessoas receberam um novo rim, como consequência desse doador anônimo.

 

  1. A bondade amplia nossa perspectiva.
    A fim de sermos gentis, precisamos prestar atenção ao que está acontecendo ao nosso redor. Como notamos mais coisas e ajudamos os outros, temos um vislumbre de outras maneiras de ver as coisas. A perspectiva mais ampla nos ajuda a manter as coisas no contexto. A gentileza faz bem, pois ela facilita os contatos, pode facilitar a resolução de conflitos, muda o humor das pessoas e ajuda a melhorar os relacionamentos.

 

  1. A bondade ilumina o nosso mundo.
    Quando somos gentis e bons com as pessoas, fazemos com que elas fiquem felizes. Quanto mais as pessoas experimentam a bondade de nós, mais pessoas felizes teremos em nossas vidas. Quando aqueles que nos rodeiam são mais felizes, nosso mundo se torna um lugar mais brilhante, mais leve para viver.

 

  1. A bondade amolece nosso coração.
    Quando praticamos atos de gentileza, beleza e damos a oportunidade para a bondade, acabamos descobrindo que somos mais compassivos e mais tolerantes. À medida que praticamos a empatia, ele abre o nosso coração aos outros. Quem pratica a solidariedade, acaba percebendo uma melhora significativa no humor com o passar do tempo e até uma facilidade maior para as relações interpessoais.

 

  1. A bondade ajuda as pessoas a se sentirem respeitadas e menos sozinhas.
    Ao reconhecer a necessidade de alguém ser ajudado e agir de forma compassiva com essa pessoa, faz com que o receptor se sinta valorizado. Ele também faz o doador se sentir melhor sobre si mesmo e mais conectado ao mundo. Quem faz o bem, ganha autoestima. A pessoa passa a se sentir útil e importante para os outros.

 

  1. As crianças aprendem com o seu exemplo.
    Quando você é bom com amigos e conhecidos, seus filhos serão mais propensos a serem bons também. Muitas vezes as pessoas tratam seus filhos com bondade, mas acabam sendo estúpidos com um motorista louco, com estranhos, ou outras pessoas fora da família. Isso pode fazer com que surjam pensamentos de “nós e eles” que desvalorizam os outros como sendo “menos” do que nós. Gentileza gera tolerância e compreensão.

Leave A Comment

WhatsApp chat (11) 9999-20959